Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Com vista para as montanhas de Serra da Mantiqueira, A Mata que Canta é uma pousadinha pet friendly pra lá de especial. Os donos, que amam cães, criaram até uma piscina só para cachorros.

O espaço verde é enorme, com gramado, árvores e banquinhos para apreciar a paisagem ao som de pássaros cantando.

Trata-se de um verdadeiro paraíso pet friendly de cara para o Vale do Rio do Peixe, em Socorro (SP).

A cidade de Socorro  fica a 135 Km de São Paulo e tem o rio como principal atração. Nele e ao seu redor estão  as aventuras turísticas, como rafting, stand up paddle, tirolesa, rapel, boia cross e trilhas.

Parque e pousada

A própria pousada pertence ao mesmo complexo de um dos parques mais completos, com todas as aventuras, o Parque Monjolinho.

Ao se hospedar na Mata que Canta, o hóspede ganha um dos passeios do parque de aventuras.

Pousada A Mata que Canta, em Socorro (SP) com muito verde para passear com os cachorros (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Parque Monjolinho, que fica junto com a pousada (Andrea Miramontes/ Lado B Vigem)

Jardim da pousada pet friendly A Mata que Canta, em Socorro (SP) foto: Andrea Miramontes/ Lado B Viagem

Print do stories para mostrar os passeios que o parque oferece. Tem muito mais no Insta! (Instagram @ladobviagem)

Tudo fica dentro do complexo.  A maioria dos passeios foi adaptada aos dogs. Obviamente algumas atividades não servem para eles, como rapel e arvorismo.

Mas rafting, aventura para descer corredeiras do rio em um bote, é possível fazer juntinho com seu filho de patas.

Juju, minha vira-linda, e eu  fizemos o rafting juntas. Já Maga, a irmã dálmata e blogueira do Patas ao Alto, não.

Ela tem dores nas pernas e morre de medo. Mas no parque se esbaldou na beira do rio e na trilha.

Repito sobre os cuidados de um rafting com cachorros: respeite o medo do seu cão. Se ele é idoso, tem dores ou detesta água e sustos, não o leve. Deixe no parque com alguém, enquanto faz o esporte.

É no Monjolinho que acontece o café da manhã da pousada, em um buffet na lanchonete,  cheio de verde e de cara para as montanhas.

Café da manhã da pousada é servido no parque Monjolinho (Andrea Miramontes)

Juju e Maga ficaram juntinhas da gente durante o café da manhã pet friendly da pousada em Socorro! (Andrea Miramontes)

Caminho de São Francisco

O Monjolinho tem duas trilhas lindas, uma mais complexa, longa, e outra curtinha que beira o rio, indicada para todas as idades e tipos de cachorros, trata-se do Caminho de São Francisco.

Para a Maga e a Juju, que já estão em idade avançada, foi a trilha ideal, sem muitas subidas, com paisagem linda e beirando o rio.

View this post on Instagram

Seja onde for ?? . #Repost @maguinhadog with @get_repost ・・・ Caminho de S. Francisco é a trilha mais fofa de Socorro! ❤️ Fácil, rápida, indicada pra todos os tipos de doguinhos, inclusive as senhorinhas como nós #cadelasviajantes . @turismosocorro dentro do parque @monjolinhoaventuras ?? . Com as #cadelasviajantes do @maguinhadog (segue lá! ?) . ??passe e veja minha alegria no Rio do Peixe ? . #petfriendly #travelgirl #dogs #travellerdogs #vaccation #socorro #dogsofinstagram #patasaoalto #? #hiking #brazil #brazilianhiking #pethiking #aquipode @aquipode #minhaviagemlivre #meucliquenafolha #MeuCliqueEstadao #BBCtravel #LoveTheWorld #bestvacations #BBCBrasil #essemundoenosso

A post shared by Andrea Miramontes ??| Travel (@ladobviagem) on

Na trilha criada em homenagem a São Francisco de Assis, o famoso santo italiano protetor dos animais, placas com ensinamentos do santo foram espalhadas pelo caminho. Uma fofura.

Perto do final da trilha há um altar criado com uma oração também.

Maga se diverte e se suja toda na trilha de são Chiquinho (Andrea Miramontes)

Como é a hospedagem?

Os chalés são simples, mas em tamanho excelente, com minicopa e adaptados a idosos e pessoas com necessidades especiais.

É de piso frio, o que facilita limpar caso um cachorrinho faça xixi de emergência. Também não há caminha para seus filhote, então, não se esqueça de levar algo para ele dormir.

Maga inspeciona o quarto dos chalés da pousada A Mata que Canta (Andrea Miramontes)

Banheiros são adaptados a necessidades especiais e para idosos (Andrea Miramontes)

Sob sua observação, é possível tirar a guia enquanto caminha pela área comum. Mas sempre fique atento às fezes do seu bicho, que são sua responsabilidade, sempre, em qualquer lugar.

Tem que recolher. Não deixe na terra nem no gramado, pois algum hóspede pode pisar. Convenhamos, nem você gostaria de ter essa surpresa ao caminhar por lá.

As diárias para casal começam em R$ 189.

Chalés da pousada são independentes e rodeados pelo verde; acima, Maguinha em seu passeio matinal (Andrea Miramontes)

Piscina pet

A pousada tem três piscinas muito legais. Uma delas foi feita em formato de ossinho e pensada para os cães.

Para que não tenham medo e se divirtam, a piscina é rasinha, com chafariz e água em PH ideal aos bichos. Um charme.

Piscina para humanos fica ao lado daquela cercada para os dogs (Divulgação)

Amante dos animais e solidário com os de rua, o dono Sebastião chegou a ajudar e recolher muitos bichos abandonados. Infelizmente, ele morreu no final do ano passado.

No parque, ele também disponibilizou tudo aos animais e adaptou o cardápio da lanchonete do Monjolinho com opções veganas. Tudo, sempre, pensando nos bichos.

Quem ama animais estará em casa no Monjolinho e na Mata que Canta.

Rafting com cães! Oito passeios pet friendly para fazer em Socorro

 

Carro pet friendly vira um apê para viagem com cães grandes