Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Seu cão é aventureiro e ama trilhas, natureza e água? Então descer o Rio do Peixe corredeiras abaixo é para vocês.

No meio da Serra da Mantiqueira, Socorro (SP) se rendeu aos filhos de fuça e hoje se revela um dos principais destinos para um final de semana de aventuras pet friendly.

Bichos são muito bem-recebidos em pousadinhas, restaurantes, parques e em um pub.

Para deixar seu final de semana perfeito, seguem 8 passeios deliciosos para fazer com seu pet nesta cidade que surpreende pela natureza e aventuras.

Entre eles, está o Caminho de S. Francisco, pelo qual me apaixonei. Maga e Juju, minhas cachorras do blog de proteção animal Patas ao Alto, estiveram comigo em um final de semana na cidade.

1 – Rafting com cães

Juju desceu rio abaixo comigo em Socorro, no bote (foto: Rios de Aventura)

Dois parques muito bem-preparados oferecem rafting com pets, o Monjolinho e o parque Aui Mauê. Nos dois, o passeio é terceirizado, com empresas especializadas.

Desci o rio do Peixe com minha cachorra Juju ao meu lado, no parque Monjolinho com os profissionais da Rios de Aventura.

A segurança para fazer o passeio me impressionou. Além do bote, com um ou dois instrutores, um profissional em um caiaque acompanha todo o passeio. Antes, todos passam as instruções de segurança a serem seguidas.

Rafting é para aventureiros. Quem tem medo de água ou da instabilidade do bote não se diverte. Amei descer o rio e indico, especialmente com essa galera que sabe o que faz.

Mas confesso que Juju, minha vira-lata gigante, teve medo. Com a Maga, nem arrisquei.

Não aconselho levar no passeio cães idosos, com problemas em articulações, problemas de coração ou medo excessivo.

Neste caso, eles ficam no Monjolinho, onde são muito bem-recebidos, esperando você fazer o bote. O complexo do parque ainda tem uma lanchonete simpática com opção de hambúrguer vegano.

Já viralatões felizes, goldens e labradores se esbaldam. Custa a partir de R$ 75 por pessoa.

Golden retriever está entre as raças de cães que amam água! (foto: Facebook/Rios de Aventura)

2 – Stand up paddle

Stand up Paddle com o Rios de Aventura chega pertinho da cachoeira central, no Rio do Peixe (Foto: Rios de Aventura)

O passeio tranquilo para contemplação em cima da prancha dura uma hora e tem uma parada a cachoeira central. Dogs que amam água, inclusive, podem nadar. Você rema com seu cachorro.

Indicado para quem tem crianças inclusive pequeninas, a partir de 2 anos. Não fiz o passeio, porque o dia estava chuvoso e, sinceramente, o rafting já foi a cota de aventura da Juju naquele dia.

De acordo com a Rios de Aventura, que organiza o passeio, a pessoa tem que pesar no máximo 100 kg. Custa a partir de R$ 60.

3 – Almoço caseiro com o filhote ao lado

O melhor almoço pet friendly no estilo “coma o quanto quiser” está no parque Aui Mauê, complexo com tirolesa, rafting, trilhas mais passeios da Mundaka Aventura, para passar o dia todo.

O buffet do restaurante promete agradar a todos, e a mesa de sobremesa vai te deixar babando, com doces e bolos caseiros.

Vegetarianos e veganos encontram delícias na mesa gigante como a banana da terra preparada de várias formas, inclusive na churrasqueira, saladas e pastelzinho de queijo feito na hora.

Veganos também têm comida sem nada de origem animal. Melhor ainda se avisar da preferência na reserva. Aos carnívoros, cortes são assados como churrasco.

O almoço fica em uma varanda deliciosa, aberta, de cara para um lago. Tudo  com seu dog do lado, prenda a guia ao pé da mesa e sirva a ração (leve a sua) e água para ele.

Área do lado do restaurante do parque Aui Mauê, bem na área do lago onde se faz a tirolesa

4 – Cafezinho com bolo

O pet friendly indicado aqui é o Doce Arte Café. Não fui porque não deu tempo, mas eles aceitam todos os doguinhos.

No entanto, fucei o cardápio, com cafés especiais, capuccinos,  sorvetes, brownies com sorvete, com creme, com doce de leite e noite da pizza.

Fiquei com vontade de voltar a Socorro só para passar uma horinha nesse café (com as cachorras do lado, claro).

5 – Pôr do sol e mirantes

Pôr do sol na Pedra da Bela Vista (foto: Divulgação/Facebook)

A vista mais linda da cidade está na Pedra Bela Vista, lugar ideal para curtir o pôr do sol com seu melhor amigo ao lado.

Para entrar no complexo, paga-se R$ 10. Lá, além de curtir o por do sol, o visitante pode comprar mais diversão, como rappel, trekking, arco e flecha e slackline.

Durante o pôr do sol há o ritual do Pan de Palo, massa com receita peruana, dos Andes,  que você vai assar no espeto, ao redor de uma fogueira.

A massa vem com o recheio que escolher, como queijos, requeijão, carnes, doce de leite, brigadeiro e outros. Mas chegue à Pedra da Bela vista por volta das 17h, pois, lá pelas 19h, já acabou.

O Mirante do Cristo é outro passeio para ver a cidade lá do alto acompanhado do filho de focinho. Além da estátua do Cristo um empório permite degustar iguarias da cidade, como doces caseiros.

6 – Trilha de São Francisco

View this post on Instagram

Caminho de São Chiquinho 🙏🏻🐾 só podia ser pet friendly. Delícia de trilha em Socorro @turismosocorro dentro do parque @monjolinhoaventuras 🐶🐾 . Com as #cadelasviajantes do @maguinhadog (segue lá! 😍) . 👉🏻passe e veja a alegria da Maguinha no Rio do Peixe, berço de aventuras como caiaque, stand up paddle e rafting 🐾 com 🐾 . Profissionalíssimos! 👏🏻 e absolutamente tudo #petfriendly veja o stories com um monte de imagem daqui 🙋🏻‍♀️🐶🐶 . #petfriendly #travelgirl #dogs #travellerdogs #vaccation #socorro #dogsofinstagram #patasaoalto #🐾 #hiking #brazil #brazilianhiking #pethiking #aquipode @aquipode @aquipodedogs

A post shared by Andrea Miramontes 🇧🇷| Travel (@ladobviagem) on

Dentro do parque Monjolinho está a trilha mais linda para fazer com seu cão ou gato: Caminho de São Francisco.

O parque em si já é um passeio. Tem lanchonete (com hambúrguer vegano!), banquinhos nas sombras de árvores, os passeios de rafting e stand up paddle que falei acima, arvorismo e trilhas.

O Caminho de São Francisco é feito em meia hora ida e volta. Durante a caminhada na mata, placas com recados do santo, conhecido por ser o protetor dos bichos, são espalhadas e guiam o caminho.

Trilha Caminho de São Francisco, em Socorro, foto Lado B Viagem e Patas ao Alto

Trilha Caminho de São Francisco, em Socorro, foto Lado B Viagem e Patas ao Alto

No final da trilha, há uma homenagem ao santo. Do ladinho da homenagem está uma das margens do rio do peixe, onde a Maga encheu a cara de lama.

Para entrar no Monjolinho paga-se R$ 10. Trilhas inclusas, mas os passeios e aventuras são à parte.

7 – Trilha das cachoeiras

No decorrer da trilha das Cachoeiras, você pode até mergulhar nas lagoas que se formam

Do parque Aui Mauê sai a trilha das cachoeiras, organizada pela turma do Mundaka Aventura. São 2 km de caminhada que passa por três cachoeiras, com dificuldade moderada e algumas subidas por pedras.

A paisagem na trilha é inspiradora e você pode tomar banho de cachoeira. Idade mínima a partir de 6 anos, e o valor de R$ 59 por pessoa, acompanhado de guia.

Cães são muito bem-vindos. Inclusive, tem um cão adotado pela turma do Mundaka que acompanha a trilha.

Mas não indico para cachorros idosos ou com problemas na articulação.

Maga, minha dálmata gordela e senhorinha, teve que ser carregada para atravessar um trecho alto de pedras, pois não podia pular.

Parei a trilha no meio por respeito a ela. Se seu cão está velhinho, espere os amigos que foram na trilha na base, no parque Aui Mauê, com caminhadas leves ao lado do lago.

O Mundaka, que também tem rafting, tirolesa e mais aventuras, acabou de lançar outro passeio, que leva o visitante em um tour histórico em uma fazenda de café de 1880.

Foi a primeira a libertar escravos no Estado de S. Paulo. A visita dá direito a um cafezinho com histórias no lugar.

Passeio pela fazenda histórica do século 19 acaba de ser lançado em Socorro, pela Mundaka Aventura

8 – Pub

No centro da cidade está o Lion Pub. E quando me disseram que aceitava minhas filhas de fuça, fiz questão de testar o lugar.

Ficamos em uma mesinha externa, com as guias presas ao pé das cadeiras. Apesar de não oferecerem potinhos de água nem biscoitinhos, ou seja, nada que identificasse o lugar como pet friendly, elas foram muito bem-recebidas.

O nome “pub” que identifica um lugar como um barzinho/balada irlandês, destoa do Lion, que tem o clima de um boteco chique.

No cardápio cervejinhas artesanais, alguns drinks, porções, cadinhos e delícias pé na jaca. Nada específico para vegano, mas há opções vegetarianas.

Sobremesa no Lion Pub, que aceita cães em Socorro (foto: Facebook)

Vale o passeio ao Lion, para finalizar sua noite de final pet friendly em Socorro, cidade que ficou no meu coração de mãe de pet.

É sem dúvida um lugar a se voltar para mais diversão do ladinho das minhas meninas de fuça.

Carro pet friendly vira um apê para viagem com cães grandes

Chalés pet friendly têm um pomar para você passear com seu dog

Dê um play e se divirta com a Maga: