Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Em 1996, a princesa Diana escolheu o Hilton The Drake Hotel para se hospedar em Chicago. Cary Grant, Grace Kelly e Frank Sinatra também adoravam o hotel icônico na cidade.

Histórico e luxuoso, The Drake fica a uma quadra das lojas de grife da Michigan Avenue, a principal, com muitos restaurantes ao lado e acessível a todos os passeios de Chicago.

Está também ao lado do lago Michigan, um dos cinco maiores da América do Norte. Do alto da sala vip onde acontece o café da manhã, a vista é simplesmente fantástica.

Café da manhã com vista para o lago Michigan

O café da manhã só está incluso nas diárias se você escolher essa opção e pagar a mais.

Vale a pena verificar os preços com o café, pois em uma das pesquisas para as diárias, vi uma diferença de apenas R$ 50.

Muito bom e variado, repleto de frutas vermelhas que amo, ovos preparados na hora e outras gostosuras.

Quartos são bem espaçosos, classudos e sem barulho algum. O elevador com poltronas é um show à parte, nunca tinha visto um elevador sala de estar antes.

Como parte da coleção Hilton, desenvolveu várias ações sustentáveis que conto mais abaixo.

Quartos com configurações variadas tem conforto e zero barulho (foto: Divulgação)

Meu quarto no The Drake (Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Elevadores com sala de estar (Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

O hotel foi construído na década de 20 e completa 100 anos ano que vem. Imaginem a festa.

Entrou para a seleta lista de hotéis dos EUA na Historic Hotels of America, por preservar e manter sua integridade histórica e arquitetônica.

Hotel manteve a arquitetura e tradições, mas modernizou na sustentabilidade

Sala no hall de entrada do hotel, onde fica a recepção e o concierge (Facebook/ The Drake)

Jazz ao vivo e festões

Algumas festas que sacodem Chicago ainda acontecem no The Drake, como o famoso baile de máscaras no Halloween. Infelizmente não consegui participar.

Tem um chá da tarde famoso, festas de Páscoa, brunchs e outras comemorações. Ensaios de noivas também acontecem no hotel, um dos preferidos para casamentos.

Noivas escolhem o hotel para se aprontar, para a festa ou mesmo para fotos (Facebook/ The Drake)

O bar intimista de jazz do hotel, Coq d’Or, mantém a decoração e arquitetura da década de 30. Costuma ter shows ao vivo nos finais de semana.

Coquetéis do bar intimista de jazz do hotel, Coq d’Or, com arquitetura de 1930 (Facebook/ The Drake)

A pé por Chicago

Do Drake, você pode fazer tudo a pé. Desça pela Michigan Avenue e curta a paisagem urbana, cafés deliciosos e lojas fantásticas.

Ele fica no começo da vizinhança chamada Magnificent Mile, a melhor para se hospedar em Chicago.

Michigan Avenue, na vizinhança chamada Magnificent Mile, a melhor para se hospedar em Chicago (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

A 15 minutos de caminhada, chega ao Millennium Park, onde está a famosa escultura The Bean, um dos cartões-postais da cidade

Durante a caminhada, vale a pena entrar na loja da Apple da avenida, uma das mais lindas da marca que já entrei.

Para refrescar, vá de shake da Ghirardelli, chocolateria dos EUA que faz parte do grupo suíço Lindt. O meu era de caramelo salgado.

Shake de caramelo salgado durante minha caminhada pela Michigan Avenue,  até o parque e o museu (Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Loja da Apple tem uma vista linda para o canal que corta a Michigan Avenue, vale a pena espiar (Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Para fazer as atrações pagas, usei o City Pass de Chicago durante a minha viagem. Adultos pagam US$ 106 para ter direito a 5 atrações a escolher. Crianças, US$ 89.

As vantagens são fila vip para entrar, o que te salva a vida no Skydeck por exemplo, e economia de dinheiro.

Se fossem compradas separadamente, as 5 atrações para adultos custariam US$ 217,90

City Pass Chicago dá direito a 5 atrações, que se fossem feitas separadamente custariam o dobro (Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Quando me hospedei no Drake, fiz tudo o que estava ao lado do hotel, como 360 Chicago Observation Deck, que fica a pouco mais de um quarteirão do hotel.

O 360 é uma atração parecida com o Skydeck, para fazer fotos de vista linda da cidade. A diferença é que no Skydeck está o famoso deck com chão de vidro.

Chicago 360 é um dos passeios da cidade onde você pode apreciar uma vista linda pelas paredes de vidro (Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Mas o 360 também vale a pena, e arrisco dizer que a vista é ainda mais linda do que do outro prédio. Aconselho não perder a atração.

O Art Institute of Chicago também está a uma breve caminhada do hotel. O museu fica ao lado do Millennium Park, onde está o The Bean, gratuitos. Aproveite tudo na mesma oportunidade.

No museu, não deixe de se deliciar com a Pop Art, com obras de alguns dos ícones do movimento, Andy Warhol e Roy Lichtenstein.

Mas as minhas obras de arte preferidas neste mundão são os Mirós, sempre.

Sustentabilidade

O Drake virou Hilton na década de 80.  E agora segue a linha da rede que procura estender ao máximo os benefícios ao planeta e responsabilidade social, como o programa de funcionários que fazem trabalho voluntário pelo mundo.

Nos quartos há a opção de trocar seus lençóis a cada três dias e pendurar suas toalhas para reutilização. Isso economiza mais de 250.000 litros de água por ano.

O hotel tem apenas lâmpadas econômicas, recicla tudo que usa, de baterias a guardanapos, e o que não serve mais aos prédio vai para um abrigo.

Suas compras de alimentos são prioritariamente com produtos orgânicos e cultivados localmente, o que ajuda na redução de emissão de carbono global.

Preço

The Drake é um hotel de luxo, mas mesmo assim, é possível achar preços acessíveis, para ficar no melhor lugar de Chicago.

Em pesquisa na rede, achei o hotel por a partir de R$ 750, para duas pessoas, com café da manhã incluído. Olha, achei bem bom pela localização e tudo o que oferece.

Claro, o preço muda conforme a data, quarto e disponibilidade. Minha pesquisa foi para uma diária em março de 2019.

Panquecas com frutas vermelhas na linha das comidas orgânicas servida no hotel (foto Facebook/The Drake)

Quem se hospeda em qualquer hotel da rede Hilton, pode ainda se inscrever  gratuitamente no Hilton Honors, o programa de fidelidade do grupo.

É possível ganhar descontos, wifi gratuito, escolher o quarto e até reservar com os pontos obtidos a cada diária.

Outros hotéis Hilton da cidade, como o Embassy, que também fica nessa região, e o hotel localizado dentro do aeroporto internacional, Chicago O’Hare, também contam pontos ao se hospedar por lá.

View this post on Instagram

De frente para o lago Michigan, este Hilton está ao lado da principal avenida da cidade 😍 – fiz tudo a pé por enquanto 🙋🏻‍♀️❤️ The Drake – a Hilton Hotel @hiltonhotels foi o preferido da princesa Diana quando visitava Chicago. Tem até uma suíte como nome dela aqui 💎 #hiltonhonorstravel . Vê tudo no stories 👆🏼👆🏼👆🏼 . Fiz meu cadastro gratuito no @hiltonhonors e vc? 🙋🏻‍♀️ . #chicago #outono #travelgirl #meucliqueestadao @choosechicagobr ❤️ #meucliquenafolha #emcasachicago #minhaviagemlivre #meuclickchicago #chicagoautumn #autumn🍁 #chicago #blogger #travelchicago #thedrakehotel #chicagoautumn #besthotels #lovehotels #luxury #luxuryhotels #lovelyhotels

A post shared by Andrea Miramontes 🇧🇷| Travel (@ladobviagem) on

Coração de Chicago! Embassy Suites by Hilton Magnificent Mile tem a melhor localização