Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Le Havre, na França, é uma cidade portuária da região da Normandia, que sofreu muito com a destruição durante a Segunda Guerra Mundial.

Vou te levar a um passeio por esse lugar que foi uma das maiores inpisrações dos pintores impressionistas.

A guerra, que terminou em 1945, a destruiu. O porto foi ocupado pelos alemães no começo da década de 1940. Com os bombardeios, quase 90% da cidade desapareceu.

Desesperadas, as pessoas fugiram como puderam, mas as inúmeras mortes pela estúpida guerra foram inevitáveis.

Foram 5.000 mortos, 80.000 vítimas desabrigadas e mais de 12.000 edifícios destruídos.

Do sofrimento, Le Havre foi belissimamente reconstruída. O arquiteto Auguste Perret foi o escolhido para refazê-la no pós-guerra.

O centro, na foto abaixo, foi reconhecido como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco, em 2005.

Quem foi Auguste Perret?

O arquiteto Auguste Perret tinha um desafio imenso: refazer a cidade francesa e acomodar 80 mil pessoas.

Ele foi um dos pioneiros na utilização do concreto armado, técnica que ficou marcada no pré-modernismo.

Perret estudou na escola de Belas Artes de Paris e fez a primeira obra pré-modernista na cidade, em 1903.

Para sentir o gostinho da arquitetura da época, um apartamento modelo criado por August Perret pode ser visitado pelos turistas.

O mobiliário é o mesmo usado durante a reconstrução da cidade, entre 1945 e 1955, destinado para as vítimas de guerra em Le Havre.

O apartamento modelo parece ter parado no tempo. Até os objetos pessoais da década de 1950 estão presentes. Na visita, o turista sente como se alguém ainda morasse lá.

O designer René Gabriel foi chamado para mobiliar os apartamentos dos edifícios feitos por Perret para as vítimas da Segunda Guerra. Você pode agendar sua visita.

Arte e Niemeyer na Normandia

O mestre Oscar Niemayer, que desenhava suas obras com paixão, também deixou sua marca em Le Havre, com a obra Le Volcan, um centro cultural na França (foto acima).

Inaugurado em 1982,  o Le Volcan, fica no meio do Sena, que corta a cidade.

É em Le Havre também que está o MuMa (Museum of Modern Art André Malraux) o museu com a maior coleção impressionista da França, depois de Paris.

É possível ver quadros de Monet e de seu grande mestre, o pintor Eugène Boudin.

Com vão gigante e inteiro feito com iluminação natural, a arquitetura do museu é de impressionar.

Outro ponto a não perder é a igreja de Saint Joseph, completamente destruída em 1944 e reconstruída por  Perret.

A torre octogonal a 107 metros impressiona os turistas, assim como a “luz dourada”, dos vidros coloridos da artista Marguerite Huré.

O lugar, de silêncio e meditação, funciona como memorial em homenagem às vítimas da Segunda Guerra. Abaixo, vitrais coloridos da igreja:

Onde ficar e comer delícias normandas

Para entrar no clima de Le Havre, indico a estada no hotel Pasino, um cassino na beira do Rio Sena. Você pode reservar com o melhor preço aqui.

Não deixe de jantar ao menos uma noite no Brasserie du Pasino, o restaurante do hotel que reúne delícias da região, como uma saladinha com camembert derretido, o queijo tradicional.

O melhor crème brulée, sobremesa francesa feita com leite, está no restaurante Le Grand Large, que fica à beira do mar.

A delícia vem como deve ser, pegando fogo na mesa. Mas cuidado, você mesmo terá que apagar as chamas:


Outra opção de jantar que não vai te decepcionar quanto aos queijos e vinhos é o Restaurante Le Grignot.

O restaurante fica bem em frente ao monumento de Oscar Niemeyer.

Onde está Le Havre

Fica a duas horas de Paris de trem ou carro. A cidade é também um ótimo ponto de partida para explorar toda a Normandia, como as falésias de Étretat e as cidades de Honfleur e Deauville.

É possível encontrar, na mesma região, as praias e jardins que inspiraram Monet e Boudin na maioria de suas obras e lugares históricos de guerras como as dos 100 anos e II Guerra Mundial.

É na região também que está um dos monumentos mais visitados da frança, a fortaleza-castelo Mont Saint Michel.

E, uma vez na Normandia, não deixe de degustar as melhores cidras e queijos, como o Camembert e Livarot.

Veja aqui um roteiro feito pelo Lado B VIagem de 7 dias pela Normandia, partindo de Paris.