Veja cinco passeios imperdíveis para fazer em Bonito (MS)

Gruta do Lago Azul - Crédito Rodrigo Nakano
Bonito (MS) não tem esse nome à toa. Verdadeiras joias estão escondidas entre os passeios que se pode fazer no lugar, como a gruta do lado azul, acima.

Fica a menos de 200 km de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. Mas para visitar é aconselhável que você esteja de carro ou vá com uma operadora muito bem-amarrada. Programe-se, não chegue À cidade do nada querendo fazer os passeios. Os lugares ficam a alguns km da cidade e, muitas vezes, não vai ter vaga na hora para uma flutuação ou lagoa. Organize-se antes.

“A disponibilidade em alta temporada costuma ser complicada”, diz Rodrigo Nakano, diretor da Descubra Turismo, que opera Bonito há 7 anos. Ele fez para o Lado B Viagem uma uma lista com as principais atrações.

1) Gruta do Lago Azul

O cartão-postal de Bonito. A atração une aventura, contemplação e geologia. A gruta é uma das maiores cavidades inundadas do planeta e apresenta formações geológicas milenares.

2) Nascente do rio Olho D’água

É na Reserva Particular do Patrimônio Natural que se encontra a nascente do rio Olho D´Água, uma imensa piscina natural cristalina que, além de verter a água que forma o rio, é o ponto de partida para uma atividade de flutuação e snorkel. É lá que você vai observar a riqueza subaquática de Bonito.

3) Rios Formoso e Sucuri

Os principais rios que cortam a região – Formoso e Sucuri – são verdadeiros playgrounds para quem gosta de observar a natureza e, ao mesmo tempo, praticar uma atividade. O Sucuri oferece uma visibilidade de dezenas de metros, graças à formação calcária das rochas de sua nascente. O Formoso é o lugar onde são feitos os passeios de rafting, na companhia de macacos, tucanos e araras que ficam às margens.

4) Estância Mimosa

A fazenda abriga, pelo menos, oito cachoeiras de tamanhos e formatos variados. Ao longo do passeio, visitantes têm a opção de curtir banhos de piscina natural, visitar pequenas grutas e saltar de uma plataforma de 6 metros de altura em um poço natural.

5) Cachoeira Boca da Onça

Uma caminhada de quatro quilômetros leva os viajantes à Cachoeira Boca da Onça, que tem queda livre de 156 metros e é a mais alta do estado sul-mato-grossense. No trajeto, há uma estrutura com banheiros, bar e enfermaria. E, na volta, uma escadaria de 886 degraus ao longo do paredão de calcário oferece vistas incríveis do cânion do rio Salobra.

Cachoeira da Estancia Mimosa - Crédito Rodrigo Nakano

Siga a gente nas redes! 😀

Olha nosso Facebook!

Twitter: Sigam-me os bons!

Inspirações estão Insta do Lado B

RIR: bondinho português faz tour virtual na cidade do rock no Rio

Sete imagens de cair o queixo te convencem a conhecer a Noruega

 

Bonito placa - Crédito Rodrigo Nakano

 

Flutuacao no Rio Formoso - Crédito Editora Peixes Embratur

Araras - Crédito Rodrigo Nakano

Author Description

Lado B Viagem (parceiros) - invista em experiências!