Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Não dá para enjoar de Torres Del Paine, no Chile. Se curte aventura com paisagens inesquecíveis, pode escolher entre as mais de 20 excursões por montanhas, florestas e campos patagônicos.

Torres del Paine é um dos parques nacionais mais lindos do mundo. Fica na região de Magalhães, no sul da Patagônia chilena. É um destino de aventura, mas também de contemplação.

Saiba como chegar, o que levar e onde ficar com este link que fiz para você. É possível contratar cada passeio separadamente. A entrada do parque, na alta temporada, de outubro a abril, custa 21 mil pesos para adultos (R$ 115).

Ou pode ir com hotéis que organizam todos os passeios, te pega no aeroporto e inclui todas as refeições, como o Tierra Patagônia, para não pensar em nada além de comprar sua passagem.

Veja 6 passeios imperdíveis para conhecer a região.

Há trilhas por montanhas, lagos, e até florestas. Nos caminhos, deixe a câmera preparada para flagrar animais selvagens, como ñandus, guanacos, condores com três metros de envergadura e até pumas. Dei sorte ao ver um gatão desses.

De manhã, os carros prontos para aventura do Tierra te pegam na porta do hotel para as trilhas

Conheça alguns dos principais passeios no destino, que também são feitos pelo hotel Tierra Patagonia.

1) Las Cornisas

Dificuldade – baixa

Duração – cerca de 4 horas

Foi a trilha que mais gostei, Indico como seu primeiro olhar sobre Torres del Paine.  As vistas das torres e do Maciço Paine são espetaculares. Essa trilha é exclusiva do Tierra. A caminhada acontece no alto do penhasco.

Começa com uma subida fácil ao topo da montanha e uma descida um pouco íngreme – vá com tênis ideal para trilha com aquelas garras na sola.

Com sorte você verá os condores – aves com três metros de envergadura – nas bordas do penhasco. Com mais sorte ainda, verá ninhos e filhotes aprendendo a voar.

Esse passeio fora do parque nacional e exclusivo do Tierra.

2) Base de Las Torres

Dificuldade: alta

Duração: 8 horas – 18 km

Uma das caminhadas mais famosas do Maciço Paine exige resistência, mas presenteia o viajante com a vista das três famosas torres de granito.

A caminhada sobe por uma colina contínua por 1 hora, contornando o Rio Ascencio até chegar ao Paso de los Vientos. Dali, são 30 minutos até chegar ao acampamento chileno, para descansar.

A última hora é a mais desafiante e difícil, pois o caminho ziguezagueia em subida por um setor da pedra solta, com muito vento e clima imprevisível. Leve capa de chuva.

Chegando ao mirante é a hora da clássica vista das Torres del Paine. Há a possibilidade de almoçar lá no meio dessa paisagem. Mas vá preparado. O tempo pode fechar, as nuvens baixam e não se vê nada.

A descida começa pelo mesmo caminho e leva aproximadamente 4 horas para chegar ao ponto de partida, motivo pelo qual, definitivamente, é necessário ter bons joelhos e uma boa condição física.

Esta excursão é dura e exaustiva para aqueles que não estão acostumados a realizar caminhadas de longa distância.

3) Contemplação e navegação pelo Lago Grey

Dificuldade: zero

Duração: o dia todo

Para quem tem pouco tempo no destino, esse passeio é imperdível. Ele acontece de carro, corta boa parte do parque nacional e tem paradas estratégicas para fotos maravilhosas.

Você vai almoçar no meio do caminho e está incluso com algumas operadoras. Na minha vez, o almoço aconteceu no restaurante Pampa Lodge, com uma comidinha caseira e opção vegetariana.

O ponto alto do passeio é a chegada ao Lago Grey, que vem do Glaciar Grey. Trata-se da terceira maior extensão de gelo do mundo, atrás da Antártica e Groelândia. Mas você só vai ver o glacial de perto se fizer a navegação.


A navegação até o glacial acontece em um Catamarã e tem custo adicional. O Tierra te leva até o ponto onde você pega o barco, que custa 75 mil pesos chilenos a ida e volta (cerca de R$ 420).

Mas sem navegação, seu caminho não deixa de ser o mais lindo, ao lado dos guias:

4) Birdwatching

Dificuldade: Fácil
Duração da Caminhada: 2 horas de caminhada – metade do dia

Com ecossistemas distintos, é possível encontrar mais de 120 espécies de aves, desde flamingos, caiquenes, patos, nhandus, carpinteiros magalhânicos, caranchos cordilheiranos do sul, águias e até o majestoso condor (foto).

O condor chega a ter três metros de envergadura. Saímos ao amanhecer, quando as aves se encontram mais ativas e a luz favorece a fotografia.

Entre lagos, bosques e pampas a busca é por uma experiência para observar animais selvagens em seu habitat.

Guias explicam sobre os ciclos de vida e comportamento. A melhor época para avistamento é de dezembro a fevereiro, e as principais regiões são: Laguna de los Juncos, Laguna de los Cisnes, Estância Cerro Paine.

5) Valle Pingo e Península del Grey

Dificuldade: Fácil
Duração da caminhada: 3,5 / 10 km

Passa de carro pelos mirantes mais bonitos do Parque Nacional (acima) até chegar à Guardería Grey. Aqui começa a caminhada no Valle Pingo por um caminho de desnível, que vai paralelamente ao leito do rio Pingo.

Este lugar tem uma das áreas mais verdes do parque e onde é possível apreciar interessantes formações geológicas. Passaremos por um antigo posto de gaúcho e finalmente chegaremos ao Chorrillo del Salmón, uma pequena cascata.

Volta-se pelo mesmo caminho. Após o almoço visitaremos o pitoresco Lago Grey, onde se pode ver blocos de gelo e o Glaciar Grey à distância.

6) Trilha Hunters

Dificuldade: pouca

Duração: 3 horas

É a melhor trilha para ver guanacos – os animais típicos da Patagônia – bem de pertinho. Essa trilha chega a inscrições centenárias da indígena Aonikenk.

Os Aonikenk eram nômades que usavam as rochas para transmitir mensagens, o que avocê vei ver nas rochas da montanha.

Durante a trilha a vista para o Maciço Paine rende fotos lindíssimas, junto aos guanacos. É possível também ver raposas, condores e, com muita sorte, um puma de longe.

No final das trilhas feitas pelos guias do Tierra Patagônia há sempre um piquenique no meio da paisagem linda do parque e até de animais selvagens, como o guanaco. Assim terminou meu passeio (passe para ver o vídeo)

Há também passeios guiados de bike e a cavalo – cultura forte na Patagônia, mas eu não faço, pois o blog não se propõe a usar animais durante as viagens. Há também caiaque pelos lagos e rios patagônicos e mais trilhas.

Todos podem ser vistos neste link.

Como conhecer Torres del Paine sem se preocupar com nada além de comprar seu voo