Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Ele é o hotel queridinho de famosas, como Marina Ruy Barbosa, que passou a lua de mel, na África do Sul.

Mas, o mais legal é que o Sabi Sabi Private Game Reserve tem foco na sustentabilidade, ajuda a comunidade local e protege os bichos.

O hotel de safári fica na reserva ambiental de Sabi Sands, ao sudoeste do famoso Kruger National Park.

Tanto na construção quanto no funcionamento diário dos lodges, tudo é pensado para causar o mínimo de impacto.

O chamado Earth Lodge é um dos “National Geographic Unique Lodges of the World”, grupo de hotéis selecionados pela National Geographic Society com conexão com as comunidades locais e a proteção dos habitats e cultura.

Safaris com responsabilidade

Para a realização dos safáris, o Sabi Sabi conta com guias super treinados também para respeitar a fauna ao máximo.

Durante o safári, você será um observador, sem interferir nos hábitos dos animais.

Essa postura, bem como as informações sobre conservação passadas pelos guias – afinal muitos animais vistos ali estão ameaçados de extinção .

Comunidades locais

Também faz parte dos princípios doSabi Sabi impactar positivamente as comunidades próximas. Boa parte do staff do hotel vem das vilas Shagaan, localizadas em seus arredores.

Além disso, uma forma que o hotel encontrou de apoiá-las foi oferecendo passeios nos quais os hóspedes visitam as comunidades.

Todo o dinheiro arrecadado com a atividade é revertido diretamente para inciativas de apoio aos locais.

Outro projeto interessante foi o desenvolvido pelo chef Wilfred Mtshali, doSabi Sabi, para jovens que desejam ser chefs de cozinha.

Desde 2015, o hotel dá apoio em forma de transporte, alojamento, uniformes e certificação para os participantes do programa.

Os selecionados vão para Joanesburgo fazer cursos oferecidos pela associação de chefs da África do Sul. Lá recebem certificados e, quando voltam, passam pelas cozinhas dos quatro lodges doSabi Sabi.

O objetivo é, ao mesmo tempo, inspirar confiança e auto-estima, e permitir que os jovens terminem o programa com habilidades e conhecimentos que os permitam avançar nessa carreira.

Por vezes, os novos chefs são contratados pra trabalhar nas cozinhas do próprio hotel.

Arquitetura integrada à natureza

O destaque do hotel vai para oEarth Lodge – um dos quatro que faz parte da reserva -, cujo objetivo é retratar o futuro dos hotéis de safári da África do Sul, unindo luxo e preservação.

O projeto tem as paredes feitas à base de adobe e fibras de planta.  Na decoração dos quartos estão esculturas e móveis feitos pelo designer Geoffrey Armstrong utilizando árvores levadas por inundações ou derrubadas por elefantes.

Os  mantimentos vêm de fornecedores locais, de modo a estimular a produção da região.

No fornecimento de energia, luzes de led que consomem menos energia, e é utilizado gás de cozinha, ao invés de eletricidade.

Para economizar ainda mais, a arquitetura dos lodges é pensada para que a luz natural sejanaproveitada ao máximo.

A propriedade fica localizada na reserva ambiental de Sabi Sands, ao sudoeste do Kruger National Park, e éformada por quatro lodges cuja decoração é inspirada em diferentes momentos históricos da África do Sul.

Há o Selati Camp, em estilo colonial; o Bush Lodge, único que aceita crianças, e oLittle Bush Camp, além do Earth Lodge, cuja arquitetura e uso intenso de materiais naturais.