Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

O banquete orgânico é preparado no conceito zero waste (sem desperdício). No CUB, tudo é aproveitado na gastronomia, até sementes e folhas das leguminosas.

O menu criativo do restaurante em Londres é um programão. Por trás do projeto está o chef pioneiro em restaurantes zero waste na Europa, o chef Doug McMaster.

McMaster fundou o restaurante Silo em 2014, primeiro no conceito do continente, localizado em Brighton, cidade a 1h30 de Londres.

CUB é um restaurante pequeno e minimalista, conta com poucos sofás amarelos em estilo retrô, que lembram uma lanchonete dos anos 50. Mas não se iluda, é um reduto de alta gastronomia.

Tomates marinados ao óleo de folha de figo, uma das entradinhas do CUB (foto: Andrea Miramontes/Lado B Viagem)

Ambiente retrô tem com mesas pertinho da bancada do chef (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

No CUB, o chef uniu-se a um dos bartenders mais criativos da cidade, o mago dos drinks Ryan Chetiyawardana, conhecido como Mr. Lyan, dos bares White Lyan, Dandelyan e Super Lyan.

Não  fui aos bares, mas já estão na minha lista, pois os drinks são sensacionais.

Drink de Lyan em Londres,  no restaurante zero waste e com menu especial vegano (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

O que pedir?

Reserve antes de ir e conte como é sua dieta, se vegetariana ou vegana. Apesar de ter pratos à la carte, indico fortemente o menu fixo em 10 etapas escolhidas pelo chef.

Ele intercala drinks de bebidas premiadas com os pratos e sobremesa. Custa 67 libras por pessoa (cerca de R$ 300) e vale cada centavo.

Menu em 10 etapas criado intercala bebidas premiadas, pratos e finaliza com drink + sobremesa

O restaurante aplica métodos sustentáveis na cozinha. Como? Além do conceito de aproveitamento, também escolhe a dedo os fornecedores.

Não é qualquer um que vende ao CUB. São garimpados pequenos produtores, principalmente locais, além de grifes alinhadas ao fair trade (comércio justo) e sustentabilidade.

Os ingredientes orgânicos usados pelo chef nos pratos vêm de produtores locais. Como o menu é sazonal,  talvez algumas coisas que vou descrever aqui já não estejam disponíveis.

McMaster não estava durante a minha experiência CUB. O chef Gus se encarregou do menu. Com a bancada na frente das mesas, você pode acompanhar o preparo dos pratos.

Comecei com uma taça de espumante Krug Grande Cuvée, vintage, que dificilmente você encontra em outros lugares. É servida com um cubo de gelatina congelada, como gelo.

Krug Grande Cuvée vintage, enquanto o chef Gus prepara os outros pratos na frente (foto: Andrea Miramontes/Lado B Viagem)

De entrada, tomate marinado em óleo de folha de figo. Até as folhas das frutas, que normalmente seriam descartadas, são usadas de forma criativa.

O segundo drink leva maçã embebida no champanhe e pineapple weed, erva asiática antiinflamatória usada para chás, também conhecida como camomila selvagem. A base do drink é uma dose vodka sustentável.

Trata-se da vodka Belvedere.  A bebida polonesa foi escolhida pelo Cub não só pela qualidade, mas também  pelos princípios de responsabilidade social e ambiental da marca.

Premiada, a marca doa parte dos lucros para o combate ao HIV na África. Com o programa, mais de 40 mil mães soropositivas tratadas já deixaram de transmitir o HIV para seus bebês. Deu até vontade de comprar uma garrafa.

Belvedere também só trabalha com poucos produtores agrícolas locais e  reduziu as emissões de CO2 em sua produção em 42%, desde 2002.

View this post on Instagram

Experiência gastronômica incrível com #sustentabilidade♻️ e delícias de chef veganas e vegetarianas 🌱 . Por favor. Anotem esse restaurante pra quando forem a Londres @lyan.cub ⭐️⭐️⭐️⭐️⭐️ . Confie no chef Doug McMaster e vá de menu degustação. Ele intercala bebidas e pratos cheios de personalidade, como esses tomates marinados com folha de figo, na foto. . 💎champanhe Krug Grande Cuvée com cubo de gelatina abre o jantar, que é sensacional 😋 . O restaurante segue o conceito #zerowaste 👏🏻 que utiliza tudo na cozinha, sem desperdícios . Tudo salvo no stories de 🌱 Londres ☝🏼☝🏼☝🏼 . Ainda apostam nos ingredientes orgânicos e de produtores locais #fairfood ❤️ . @lovegreatbritain #vegan #vegetariano #vegantraveller @lovegreatbritain.br #lovegreatbritainbr #vegantraveller @VisitLondonOfficial #visitlondon #london #vegetariano #vegano @visitlondon #LoveGreatBritain #bestvacations #bestlondon #londonsights #jornalOGlobo #MinhaViagemLivre l #LoveTheWorld #veganworld #luxurylifestylemagazine #bestvacations #IamaTraveler @beautifulmatters #beautifulmatters

A post shared by Andrea Miramontes 🇧🇷| Travel (@ladobviagem) on

Em seguida, veio o drink com “ugly peaches”, pêssegos feios porém superdoces. Lyan criou a bebida para usar frutas rejeitadas, que normalmente seriam descartadas.

O drink tem como base whisky Bruichladdich, destilaria escocesa da ilha Islay, uma das melhores do mundo.

Se não toma whisky, a bebida pode ser substituída por uma dose de um pinot blanc francês Josmeyer, que produz vinhos orgânicos com técnicas de agricultura que preservam o ambiente.

Como prato principal veio o “whole broccoli”, um brócolis inteiro servido com molho de cogumelos, purê o vegetal e a invenção de Mac Doug: caviar de brócolis.

Ugly peaches, but wonderful drink! Bebida com whisky escocês antes do prato principal, o grande brócolis 🙂 (foto: Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

O “rare tea”, após o prato principal, é outra genialidade de  Lyan. Pêssegos compressos em tequila e cassis são servidos com chá de wild rooibos, planta originária da África do Sul.

Para sobremesa, experimentei um sorvete de óleo de abóbora com base de caramelo branco e calda de menta. Muito suave e de sabor único.

Assista ao vídeo no Instagram que mostra o momento que a calda encontra o caramelo. Segure a saliva.

Antes de terminar, mais  um drink especial com creme de grasshopper, chocolate e chá de menta inglês.

Sorvete de abóbora, base de caramelo branco e calda de menta, na sobremesa de Doug MacMaster (foto: Andrea Miramontes/Lado B Viagem)

Sou vegetariana há 15 anos e saí de lá com a certeza de que, a partir do CUB, meu conceito de alimentação subiu um degrau quanto à criatividade. No caso deles, com sustentabilidade.

Antes de terminar, mais  um drink especial com creme de grasshopper, chocolate e chá de menta inglês.

Além de McMaster e Lyan,  fazem parte do CUB a Krug Champagne, Belvedere e Arielle Johnson, do Noma, agora MIT, em Boston.

Durante todo o programa, a trilha sonora passa dos anos 70, 90 até hits atuais. Garçons explicam a história de cada prato e drink servido, o que deixa a sua refeição, sem dúvida, muito mais interessante.

Não é um programa rápido, nem para levar crianças. Coma sem pressa. Deguste cada e gole dos drinks deliciosos.

Whole broccoli – brócolis inteiro al dente em acompanhado de purê e caviar de brócolis (foto: Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

COMO CHEGAR: CUB – 153 Hoxton Street

Dentro do metrô tem a conexão com trens, sem sair da estação ou pagar outro bilhete. Você troca pela linha de trem e desce na Hoxton Rail Station. O restaurante fica a duas quadras da saída.

(foto: Facebook CUB)

CUB fica pertinho da estação de trem Hoxton Rail Station (foto: Andrea Miramontes/ Lado B Viagem )

O blog Lado B Viagem viajou a convite do Visit Britain