Dos castelos aos jardins! Curta o melhor Copenhagen de bike, barco e trem

Guia de sobrevivência revela como se virar no coração da Dimanarca

LÂMINA TRANSPORTE

Esperava uma cidade sóbria. Encontrei jovialidade, alegria e cores. Copenhagen, a capital da Dinamarca, esbanja vida.

E, tal como em Amsterdam, na Holanda, todos apostam nas bikes. O roteiro aqui proposto, ideal para dois dias, passa por vários pontos importantes e até curiosos. Quem já imaginou passear por um cemitério?

Incluo cartões-postais como o castelo de Rosenborg, símbolos da cidade como a escultura da Pequena Sereia e o Tivoli Gardens, parque que inspirou Walt Disney a criar seu império. São pontos lindos e básicos para entender a cidade e suas tradições.

O castelo Rosenborg, construído no século 17 pelo rei Christian 4º,  foi usado como residência oficial da realeza até 1710 e hoje abriga um museu.

É sua primeira parada de bike. De fácil acesso, o lugar imperdível fará você sentir a realeza da Dinamarca.

Com jardins milimetricamente cortados e cuidados,  fica no coração da cidade e tem um museu com riquezas da coroa.

👸 #cadelasviajantes #visitdenmark #copenhagen #dinamarca por Lado B Viagem – R7 (@ladobviagem) em

Pequena sereia

A personagem foi criada pelo escritor de contos de fadas Hans Christian Andersen, que viveu na cidade. Ele também fez outros sucessos como O Patinho Feio e o Soldadinho de Chumbo.

Mas foi a encantadora Little Mermaid quem ganhou uma escultura disputada a tapa pelos turistas para fotos e selfies.

A estátua é um ícone de Copenhagen, com visitas de mais de um milhão de pessoas por ano:

litle mermaid

Vá passear no cemitério

De bike, atravesse praças floridas e parques, delícias para curtir sem moderação. Se achar mais confortável, pedale com empresas que oferecem tours acompanhados por guia, como a Cycling Copenhagen.

São roteiros como o “must see” no qual a pedalada acontece nos os principais pontos turísticos, ou outros que levam a lugares em que você, como turista, jamais iria, como a travessia por um cemitério (lindíssimo!).

Apostamos nesse roteiro alternativo. Passamos por novos bairros de Copenhagen e pelo Assistens Kirkegård (Assistens Cemetery) todo arborizado.  É la que o escritor Hans Christian Andersen, pai da Pequena Sereia, está enterrado.

Com mais de 250 anos, o Assistens Cemetery (abaixo) fica localizado no bairro Nørrebro. Além de Andersen, inúmeros artistas e músicos estão enterrados por lá.

Dá um play:


Por fim, nada vai te surpreender tanto quanto Christiania, o bairro hippie, que mais parece outra cidade dentro de Copenhague. Também fui de bike.

Saiba mais sobre o bairro maluco neste link.

Comidinhas e happpy hour

Amo mercadão, e em Copenhagen uma das minhas paradas de bicicleta foi o Torvehallerne. Nos mais de 60 estandes você encontra doces deliciosos, chocolates, lanches e especiarias. Vale o almoço ou lanche depois da visita ao castelo de Rosenborg, pertinho.

Para o final de tarde, a dica é tomar um chope em Nyhavn, (2) área portuária do século 17,  coloridíssima e cheia de restaurantes à beira do canal. Leia mais aqui.

nyhavn

Outro local que merece pedaladas é o Meatpacking District, antigo bairro industrial, com ruas lindas que reúnem bares e restaurantes deliciosos e de preços acessíveis.

Há muitas opções no Meatparcking. Como sou vegetariana, adorei o bistrô orgânico BioMio, com ambiente moderninho e lanches gostosos.

É lá também que está a famosa artesanal Mikkeller, considerada a melhor cervejaria da Dinamarca, também entre as melhores do mundo.

Clique para ampliar as fotos:

Olha o trem! 

Deixe sua bike presa com cadeado no estacionamento de bicicletas da estação central (lotadão!) e aventure-se em pequenos passeios ao redor de Copenhagen. Há museus e um castelos que valem o passeio.

Entre os museus dinamarqueses, o imperdível Louisiana Museum of Modern Art ganhou meu coração. Fica a 40 minutos de trem da estação central. Vale o passeio, leia mais neste link.

A pouco menos de uma hora de trem de Copenhague, na cidade de Helsingør (o nome da estação que você vai parar) fica o Kronborg Castle, imortalizado por Shakespeare no ano de 1600.  Trata-se do castelo de Hamlet, de Shakespeare (foto abaixo).

Kronborg está inscrito pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade

141335_Kronborg1_Thomas_Rahbek

De barco

Os passeios de barco pelos canais circulam o dia todo. É uma boa pedida, especialmente se você tem pouco tempo na cidade. Duram de uma a duas horas e têm explicações dos guias.

A bordo, dá para sentir o clima dinamarquês, uma vez que navegação é uma das especialidades do povo escandinavo.

O ticket para o passeio pode ser comprado na hora. Mas quem tem o Copenhagen Card, que falo abaixo, tem direito à navegação.

De barco, vai observar locais famosos como a estátua da Pequena Sereia, o palácio que serve de residência real e o Noma, um dos restaurantes mais caros e disputados do mundo.

Ele está entre os melhores 50 melhores do Planeta pelo Oscar da gastronomia, e a reserva tem que ser feita com pelo menos um ano de antecedência. Não testei.

Deu vontade de carimbar o passaporte? Então veja abaixo nosso guia de sobrevivência para facilitar a viagem.

——————————————

Guia de sobrevivência

—————————————————————-

#Copenhagen Card

Com ele, o turista pode visitar 74 museus e atrações, usa transporte público e tem descontos em restaurantes.

Por 24 horas, o cartão para adulto custa 53 euros (cerca de R$ 200, convertidos em novembro de 2017).

Todos os ingressos para os passeios aqui descritos estão inclusos na compra. As exceções são a locação de bike e empresas que fazem tours de bicicleta, como a que indiquei. No caso do Tivoli, o cartão dá direito à entrada, mas não aos brinquedos.

O Copenhagen card tem seu próprio app. Mas amantes de tecnologia durante a viagem podem também baixar outros apps na página do turismo da cidade.

# Fuso, quando ir e idioma

Primavera e verão são as melhores estações, de maio a agosto. Em janeiro e fevereiro o frio é mais intenso, e  a temperatura pode despencar a -2°C

A língua é o dinamarquês, mas todos falam inglês em Copenhagen. Muito atenciosos, os dinamarqueses farão questão de te ajudar a chegar ao seu destino.

A diferença de horário conta com + 4 horas de Brasília

#Transporte

O sistema de transporte público do país é excelente. Do Aeroporto Internacional Kastrup, pegue um trem que para na estação central (København H). De lá você se desloca para qualquer lugar.

O Copenhagen card dá direito a transporte na cidade toda. Você compra o cartão pelo tempo que vai ficar.

# Moeda e documentos

A moeda é a coroa dinamarquesa. No Brasil, poucas casas de câmbio vendem, então, nada deixar para  comprar de última hora.

Pesquise e encomende, com pelo menos uma semana antes. Média de conversão: R$ 1 = DKK 1,93 (conversão feita em novembro de 2017)

Documento: Passaporte válido. Dinamarca não exige visto para brasileiros.

Danish kroner coin in the entire frame

copenhagencard_samlet

Mais Dinamarca:

Tivoli Gardens foi inspiração para Walt criar a Disney

*Christiania vive Sociedade Alternativa de Raul Seixas

*Onde comer bem e fazer happy hour em Copenhague

*O museu mais lindo que já visitei é dinamarquês

Hotel do Tivoli @nimbcopenhagen lindíssimo durante a noite 🎭🎠 @govisitdenmark @visitcopenhagen @copenhagenshots @maguinhadog 

Uma publicação compartilhada por Lado B Viagem – R7 (@ladobviagem) em

Author Description

Andrea Miramontes - direitos reservados na autoria

Jornalista, viajante, curiosa, vegetariana e protetora de animais