Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Cheia de história e lugares incríveis, a Jordânia quer que mais brasileiros visitem suas belezas, que vão além da conhecida Petra, a cidade esculpida em montanhas gigantes vermelhas.

Nesta semana, o turismo da Jordânia mostrou as belezas e facilidades para brasileiros que querem visitar o país.

O país é seguro, inclusive para viajantes solos, o visto custa menos de 60 dólares e pode ser tirado aqui mesmo, antes de chegar, e as belezas são inúmeras.

De acordo com o escritório de turismo local, uma viagem terrestre de 7 noites no destino custa cerca de 800 dólares, com hotel, passeios e comida.

Abaixo, reproduzo as dicas do Visit Jordan  sobre algumas das atrações.

Petra

Fundada pelos árabes nabateus, por volta do século VI A.C., a tribo de nômadas se fixou na região e construiu um império comercial que ia até à Síria.

Tornou-se localidade importante para a rotas da seda, das especiarias e outras rotas comerciais que ligavam vários países da antiguidade.

No local, há dois interessantes museus: o Museu Arqueológico de Petra e o Museu Nabateu de Petraambos com achados das escavações na região de Petra e que dão a conhecer o passado vivo de Petra.

Apesar da cidade em si já ser, inegavelmente, um museu a céu aberto.

Capital Amã

Capital da Jordânia, Amã, é seu ponto de chegada. A cidade abriga uma impressionante mistura de passado, presente e futuro.

Galerias de arte e boutiques estão lado a lado de tradicionais cafés e pequenas oficinas de artesãos.

Dispõe de inúmeros e interessantes lugares para visita, tal qual a Mesquita El-Malek Abdullah que, graças ao seu domo azul turquesa, pode ser avistada de quase qualquer ponto da cidade.

Como vestígios de antigas civilizações, há o Teatro Romano e a Cidadela, ruínas históricas.

Mar Morto

A costa leste jordana, banhada pelo Mar Morto, é um dos mais belos e fantásticos cenários do mundo. É não somente uma incrível paisagem natural como espiritual.

Transformou-se em uma região central de turismo religioso e do turismo de saúde e bem-estar na região.

O que diferencia o Mar Morto é a sua água quente, balsâmica e super salgada. A água é cerca de dez vezes mais salgada que a água do mar, além disso é rica em sais minerais, como cloreto de magnésio, sódio, potássio, bromo e outros.

Outra coisa que chama atenção, que é consequência da densidade da água devido a presença de tantos minerais, é a capacidade de flutuação e também a famosa lama negra.

Algumas grandes figuras da antiguidade,  incluindo o Rei Herodes o Grande e a Rainha Cleópatra do Egito, experimentaram o tratamento de beleza natural da lama enquanto boiavam.

Mar vermelho

Já o Mar Vermelho, que é um atrativo da cidade de Aqaba, oferece excelentes experiências de snorkelling e mergulho.

Ao contrário do Mar Morto, o Mar Vermelho possui uma impressionante quantidade de vida marinha, desde corais a golfinhos e tubarões.

Contudo, se você não quiser mergulhar, ainda assim é um ótimo programa, isso pois lá estão disponíveis passeios em barcos com fundo de vidro, dando uma ótima vista das maravilhas do fundo do mar.

Jerash, ou Gerasa

Já o o sítio arqueológico de Jerash, ou Gerasa, como era conhecida a cidade em sua era dourada durante o domínio romano,  é atualmente considerada uma das cidades romanas mais bem preservadas do mundo.

Assim como Petra, a cidade ficou escondida durante séculos na areia, até ser “redescoberta” e começar a ser explorada no século passado.

Wadi Rum

Há também o Wadi Rum, conhecido como “vale da lua”, o deserto é como um labirinto.

É formado por escarpas rochosas que se erguem como “arranha-céus” naturais. Em outras palavras, uma paisagem inexplicavelmente linda, certamente uma das joias do país.

Madaba

A Jordânia também foi palco de muitas histórias narradas pela bíblia. A cidade Madaba e os arredores são referidos por várias vezes no Antigo Testamento.

Conhecida antigamente como Madeba, a região é mencionada em narrativas relacionadas a Moisés, Davi, Isaías, Jeremias, ou seja, parte muito importante da história judaico-cristã.

Lá estão lindas coleções de mosaicos bizantinos. Contudo, a obra que mais chama atenção, localizada a Igreja Ortodoxa de S. Jorge, é o mapa de mosaicos de Jerusalém e da Terra Santa – o mais antigo mapa religioso da Terra Santa que sobreviveu da Antiguidade até aos dias de hoje.

Monte Nebo

Outro local muito importante para os fiéis é o Monte Nebo. Onde Moisés teria avistado Canaã antes de morrer.

Uma basílica com muita história e uma impressionante coleção de mosaicos bizantinos está à espera dos peregrinos.

Também pode ser visitada na Jordânia o local que abriga a localização do Rio Jordão onde Jesus teria sido batizado por João Batista.

Seja muito bem-vindo ao Instagram Lado B Viagem!