Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Toronto, no Canadá, foi eleita uma das cidades imperdíveis em 2019. A revista da National Geographic incluiu a metrópole na seleta lista de uma das melhores neste ano.

O destino multicultural tem tanta coisa para fazer que fica até difícil fazer uma listinha de passeios. Mas abaixo estão alguns  lugares realmente incríveis, que farão sua viagem mais especial.

A diversidade de culturas se deve pela colonização de estrangeiros, muito bem-vindos, que ajudam a construir uma misturinha boa e lugares especiais, como os bairros Chinatown, Little Italy, Little Portugal, entre outros.

Queen West fica na vizinhança eleita uma das mais descolados do mundo pela revista Vogue (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Se você tem mais de 4 dias e pode se programar na melhor data, acrescento o festival incrível de arte contemporânea gratuita que rola no final de setembro, a Nuit Blanche Toronto. Arte durante a madrugada nas ruas.

No seu caminho por Toronto, também vai topar com muita  street art. Para quem ama, há um passeio especial para encontrar os artistas da cidade.

Para o brasileiro é ainda mais fácil a viagem, pois o visto* foi simplificado e o voo é direto. Voos saem de São Paulo direto a Toronto pela Air Canada, com várias promoções durante o ano.

Vista da cidade do alto da CN Tower (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

1 – Castelo do X-Men

Casa Loma é um castelo urbano em estilo gótico, em Toronto, que já foi a escola do professor Xavier na saga X-Men.

Suas salas com pé direito gigante, paredes de pedra e passagens secretas de verdade impressionam. Todos os anos mais de 350 mil pessoas passam por lá.

O castelo foi construído no começo do século 20 pelo canadense milionário Henry Pellatt, um sonhador, para ser sua mansão. Mas, endividado, perdeu sua propriedade para o governo.

Virou hotel, depois boate e hoje recebe turistas. Além de servir cenário para vários filmes hollywoodianos, a Casa Loma é um dos lugares mais cools para festas e um dos mais visitados de Toronto.

Cocktail (1988 com Tom Cruise), Chicago (2002, com Catherine Zeta Jones) e Halloween, em novo filme de 2018, 40 anos após o primeiro ser lançado, também têm cenas no castelo.

Jardim da Casa Loma, em Toronto, que tem vista para a CN Tower (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Casa Loma – 30 dólares canadenses ( cerca de R$85)

2 – Tour fashion e brechós

Eleito um dos bairros mais descolados do mundo, é na  Queen St. West, em Toronto, que rola o tour fashion da cidade.

Suzanne Colmer é uma style coach canadense chamada Your Shop Girl, que sabe tudo sobre as ruelas do bairro e estilistas. Quem ama moda vai se realizar no tour.

Durante a caminhada, ela indica os nomes locais mais famosos, leva às lojas que bombam e te dá dicas para se vestir conforme seu biotipo.

Entre as grifes locais indicadas por Suzanne está a Smythe, com as jaquetas e casacos mais legais que já nasceram na cidade.

Famosos amam a marca, que já foi vista até em Kate Middleton.

Lojinha especializada em itens para coquetéis, na Queen West (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Essa região, Queen St. West, no entorno do Trinity Bellwood Park, foi eleito pela revista Vogue como o segundo bairro mais descolado do mundo. Fiz um roteiro lá também.

Já se você curte a vibe brechós, vá a Kensington. Fica longe do lugar onde fizemos o tour fashion na Queen West.

Chinatown está do lado da região de Kensington, e os dois podem ser visitados na mesma ocasião.

Inúmeras lojinhas coloridas e apinhadas de peças retrôs vendem de tudo o que você imaginar, de chaves chaves antigas até máscaras de luta livre mexicanas.

É um mundo fashion por preços baixos, como casacos de inverno de marcas famosas por volta de 50 dólares canadenses.

Brechós em Kensington, Toronto (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Dentro da galeria Kensington Mall, procure pelo bar secreto Cold Tea. É escondido mesmo, você passa por uma porta corta fogo no meio dos corredores.

Trata-se de um bar megadescolado, com área externa e que serve o melhor drink de lichia com sakê que você vai tomar na sua vida.

Dentro da galeria Kensington Mall, procure pelo bar secreto Cold Tea (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

3 – CN Tower

Sabe a foto de viagem maravilhosa no topo da cidade com o skyline aos seus pés? É aqui na CN Tower, o cartão-postal de Toronto.

Um dos prédios mais altos do mundo, com 553 metros, permite você subir e fazer a foto do babado nas paredes de vidro. Para os corajosos, há também o chão de vidro, vedete para selfies.

Já os realmente destemidos podem se arriscar no Edge Walk, do lado de fora, no topo da CN Tower. Com treinamento, roupas especiais e preso a cabos de aço, o passeio permite uma volta em torno da torre.

A aventura é paga à parte, depende do clima e época do ano e custa $ 225 (aproximadamente R$ 650).

Apesar de visitar o topo da CN Tower, ainda não fiz essa aventura, o que é um pretexto para voltar.

Edge Walk, a aventura na CN Tower que deixa visitante pendurado no topo de Toronto (foto Divulgação)

CN Tower – a partir de $ 38 (cerca de R$ 105)

4 -Distillery District

Toda vez que eu for à Toronto, quero visitar o Distillery District. Complexo gigante construído no século 19, foi a maior destilaria no império britânico, de uísque e aguardente.

Todo em tijolos seguindo arquitetura industrial vitoriana, o Distillery é um passeio para ver lojinhas, bares, galerias de arte, cervejarias e restaurantes lindos, como o Cluny Bistro, ideal para um brunch.

Cluny Bistro fida dentro da Distillery, deliciosa paraa um brunch (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

Uma das estrelas do complexo é a cervejaria centenária Mill Street Brewery, onde há degustação de cervejas, inclusive, da primeira orgânica do Canadá.

Passear no Distillery District é de graça. Quem quiser também pode contratar um tour com degustações, lá dentro mesmo, com a GoTours. Custa a partir de $ 44 (cerca de R$ 122)

View this post on Instagram

❤️ na onda de espalhar amor ❤️ . Aqui, fotos do Distillery, @distilleryto lugar imperdível durante a sua viagem a Toronto, no Canadá @seetorontonow 🙋🏻‍♀️😎 #beautifulmuseums @catracalivreviagem . Lojinhas, cervejarias, restaurantes charmosos se reuniram nesse antigo complexo que foi a maior destilaria do mundo no século 19 😱 . #MinhaViagemLivre #seetorontonow @seetorontonow #meucliquenafolha #MeuCliqueEstadao #BBCtravel #LoveTheWorld #lovedesign #luxurylifestylemagazine #bestvacations #IamaTraveler @beautifulmatters #beautifulmatters #luxwt #luxuryworldtraveler #cooltravelers #wonderfulplaces #travelawesome #architecture #design #architecture_hunter #architectures_need

A post shared by Andrea Miramontes 🇧🇷| Travel (@ladobviagem) on

Mill Street Brewery, onde há degustação de cervejas, com a primeira orgânica do Canadá (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

5 – Letreiro, Financial District e mercadão

Aproveite os três lugares em um mesmo passeio de uma tarde inteira. Trata-se de uma caminhada, que, se fosse sem paradas, duraria apenas 30 minutos.

Comece no letreiro, passe pelo centro financeiro, nos prédios indicados abaixo, e, depois, siga para o mercadão

O famoso letreiro luminoso e colorido de Toronto fica na Nathan Phillips Square, em frente à prefeitura da cidade. É o ponto de partida e a primeira foto deste passeio.

O lugar é muito legal para fotos de dia e de noite, quando as letras ficam coloridas. Costuma ficar cheio de gente, especialmente quando há protestos na cidade. Capriche no ângulo.

Letreiro da cidade fica em frente à prefeitura de Toronto (foto: Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

De lá, siga para o centro financeiro da cidade, que lembra muito Nova York, com arranha-céus gigantes e prédios de arquitetura marcante.

Alguns deles merecem uma atenção especial durante seu passeio, como o prédio de ouro, literalmente. Os dois estão no mapinha que coloquei acima.

Construído com película de ouro na década de 70, o Royal Bank Plaza é formado por duas torres de ouro, brilhantes, sendo uma delas com 180 metros. Lindíssimo.

Ainda na área financeira, entre no Brookfield Place, que abriga a Allen Lambert Galleria, um dos espaços internos mais maravilhosos de Toronto.

O projeto é do arquiteto espanhol Santiago Calatrava,  responsável pela lindeza brasileira inaugurada no Rio, o Museu do Amanhã. Com sorte, você vai topar com exposições fotográficas gratuitas.

No texto sobre museus e galerias da cidade há mais fotos e detalhes deste lugar maravilhoso.

Ao andar dento do edifício você vai topar também com a fachada original de 1848 do Banco Comercial Midland, preservado dentro da galeria. 

Seu almocinho está a algumas ruas dali, há 10 minutos de caminhada você chega ao St. Lawrence, o mercadão de Toronto.

Construído em 1850, o mercadão tem degustações gratuitas gratuitas de mostarda, queijos e vinhos canadenses, como o delicioso ice wine.

Vinho licoroso, para sobremesa, feito com uvas congeladas, Ice Wine só tem no Canadá, Trata-se de uma iguaria que você tem que provar, e que não é baratinha. Uma garrafa não sai menos de  $ 30 (R$ 90)

St. Lawrence é uma delícia de passeio e já foi eleito Top Food Market do mundo pela National Geographic, em 2012.

6 – Toronto Islands

Pelo lago Ontário, a 10 minutinhos de ferry do continente, está Toronto Islands, um arquipélago de 14 ilhotas.

Carros não circulam na ilha, onde também não pode fumar. É lá que você vai ver no horizonte o skyline completo de Toronto.

Turistas e canadenses se divertem com piqueniques, passeios de bike, parquinhos para as crianças e até shows de rock.

Uma das ilhas abriga uma praia nudismo. Já pensou ir ao Canadá e, em vez de ver neve, topar com nudes? Entrevistei um peladão em 2016:

7 – Times Square de Toronto

Telões gigantes, artistas de rua e shows acontecem na Dunda’s Square, a Times Square de Toronto. Inclusive também fica lotada como a de Nova York.

A visita é o momento das compras. Lojas locais e de grifes internacionais se encontram lá, em especial dentro o Eaton Centre, o maior shopping de Toronto.

Entre as lojas legais do Eaton, quem ama lingerie nào pode deixar de ver a La Senza, a rival canadense da Victoria’s Secret. Preços excelentes.

Foto Facebook Dundas Square Toronto

Na visita à Dunda’s Square, aproveite para conhecer o Path, mais de 30 km de extensão de passagens subterrâneas da cidade.

Path é formado por passagens que interligam Toronto, por prédios, transporte e shoppings. Foi criado para a circulação  durante o inverno, que pode ultrapassar -20ºC.

8 – Museus

Cultura está na veia da cidade, então a visita a ao menos um dos museus maravilhosos que estão em Toronto tem que fazer parte do seu roteiro.

Sempre há novos museus e são inúmeros. Se tem pouco tempo, terá que selecionar onde ir.

foto: ROM/ libeskind.com

Como amante de arte e arquitetura,  indico alguns lugares imperdíveis como a Art Gallery of Ontário (AGO) e o Royal Ontário Museum (ROM).

Neste post, você pode ver com detalhes esses e sugestão de outros muito legais.

AGO, de arquitetura impressionante em madeira, é uma uma das obras-primas do arquiteto canadense Frank Gehy, o mesmo do Guggenheim de Bilbao, na Espanha. 

View this post on Instagram

✔️ na listinha “must see”que nunca termina! Delicioso 😍 passear pelo @agotoronto feito pelo arquiteto canadense Frank Gehry @frankgehry 🙌🏻, o mesmo do Guggenheim, em Bilbao, na Espanha . Passe para ver mais fotos. Acompanhe também no stories de Toronto, salvo aí 👆🏼👆🏼👆🏼📸 @chrisfenyo 🙏🏻 . O museu de arte contemporânea é um dos maiores da América do Norte e fica em Toronto, no Canadá @seetorontonow 🙋🏻‍♀️😎 #beautifulmuseums @catracalivreviagem . #MinhaViagemLivre #seetorontonow @seetorontonow #meucliquenafolha #MeuCliqueEstadao #BBCtravel #LoveTheWorld #lovedesign #luxurylifestylemagazine #bestvacations #IamaTraveler @beautifulmatters #beautifulmatters #luxwt #luxuryworldtraveler #cooltravelers #wonderfulplaces #travelawesome #architecture #design #architecture_hunter #architectures_need

A post shared by Andrea Miramontes 🇧🇷| Travel (@ladobviagem) on

*Visto

Para entrar no Canadá o processo foi facilitado, desde o ano passado. Quem tirou o documento canadense nos últimos 10 anos , mesmo expirado, ou tem visto válido de turista nos Estados Unidos, não precisa tirar novamente.

Nestes casos, basta fazer a Autorização Eletrônica de Viagem (eTA) no site do governo.

Atenção. Não compensa pagar despachante ou preencher em outros sites que cobram o serviço. Vá direto ao link  acima. A taxa é supebaixa (7 dólares canadenses) e o processo, rápido.

Já quem não cumpre os requisitos acima tem que fazer o pedido de visto normalmente.

 

Onde ficar

muitos hotéis em Toronto, para todos os bolsos, com o perdão do chavão. Conheço dois, que indico dependendo do que se busca na cidade.

Para os mais descolados e que gostam de explorar e querem se hospedar em um lugar que é a cara da cidade, há o The Broadview Hotel, com decoração moderninha e retrô.

Fachada do The Broadview Hotel em Toronto, no Canadá (foto Andrea Miramontes/ Lado B Viagem)

O Broadview fica em um prédio do século 19, lindíssimo, construído no século 19. Está localizado a leste da Queen Avenue, conhecida por cantinhos com comida gourmet e boutiques.

Mas não dá para ir a pé à CN Tower, ao castelo Casa Loma ou outra atração e museus acima. Tudo precisa de táxi ou uber. Fiz uma avaliação do hotel bem como pesquisa de preços neste link para você.

Quem quer ir a pé em passeios centrais, como CN Tower, o letreiro de Toronto e o centro financeiro pode ficar no Delta Toronto, hotel onde inclusive acontecem festas do famoso festival de cinema.

O blog viajou a convite do Turismo de Toronto

Museus em Toronto para amantes de arte e arquitetura

 

Nuit Blanche Toronto tem festa de 12h de arte na noite canadense

Casa Loma, a escola de mutantes de X-Men em Toronto