Facebook
Facebook
Pinterest
SOCIALICON

Viajar bastante, sem dúvida, influencia na sua saúde, para o bem e para o mal. Nem sempre se come bem fora de casa, o que pode levar ao ganho de peso e mais problemas alimentares.

Nem sempre voa-se bem, o que gera muitas dores na coluna, pernas, má circulação e  péssimos efeitos do jet lag, a diferença de horários de acordo com a localização geográfica para onde se viaja.

Entre os problemas estão náuseas, insônia e até enxaquecas. Meu truque para me proteger de tudo isso é o pilates. Tenho um problema na cervical que piora em viagens longas e só melhorou depois da prática regular. Fui salva, aliás.

“Ajuda no fortalecimento da musculatura, responsável pela sustentação da sua coluna, além da flexibilização dos músculos rígidos do seu corpo. Fica mais forte e flexível”, conta o professor Adriano Caldas de Freitas da academia Competition em São Paulo.

Fortalecimento dos músculos e ossos são alguns dos resultados do pilates

Adriano conta ainda que praticar regularmente mantém a mobilidade articular e flexibilidade, principalmente da coluna vertebral, em combinação com o fortalecimento de todo corpo, com foco no músculos abdominais, o que equilibra a postura.

Nada pior do que não aguentar fazer um passeio, por falta de preparo, bem como não ter a flexibilidade de enfrentar uma trilha de cachoeira. Viajantes sabem bem disso.

Xô, jet lag!

Outro benefício a viajantes é diminuir os efeitos horríveis do possível minimizar o jet lag. De dois anos para cá, meu sofrimento reduziu muito.

O professor conta que a prática, com o tempo, ajuda na recuperação mais rápida das dores musculares e esqueléticas, depois de horas espremido dentro do avião, além de se ajustar melhor às mudanças de fuso horário.

“Ajuda na melhora da sensação de cansaço e falta de energia, além de manter o sistema respiratório, circulatório e linfático em um bom funcionamento”, completa.

Controle de peso

Pilates não é uma aula para emagrecer, mas perde-se calorias na prática. A gordura corporal dará lugar a músculos.

A aula ajuda a fortalecer todo o corpo. Perder gordura será uma consequência bem-vinda, se você entrar na filosofia da prática e também comer melhor.

Meu truque após os 40 é comer bem e moderadamente na rotina, para poder abusar durante as viagens. E, mesmo vegetariana e especialista em roteiros veganos, como abuso das comidas boas pelo mundo!

View this post on Instagram

#govegan? ketchup de goji berry acompanha? ??‍♀️? restaurantes plant-based criativos com delícias de chef estão, definitivamente, na moda! E no Reino Unido, chefs inovam com receitas de babar ?@lovegreatbritain.br @lovegreatbritain #plantbased #plantbasedfood . No @farmacyuk – em Londres – faz tudo tudo orgânico, vegetariano ou vegano, sem nada de aditivos químicos e tudo delicioso . Acima, a especialidade Farmacy Burger, com hambúrguer de feijão preto e cogumelos, salada, maionese vegana e ketchup de goji berry . Tudo salvo no stories de ? Londres ☝?☝?☝? . #lovegreatbritainbr #vegantraveller @VisitLondonOfficial #visitlondon #london #vegetariano #vegano #LoveGreatBritain #bestvacations #bestlondon #londonsights #jornalOGlobo #MinhaViagemLivre l #LoveTheWorld #veganworld #luxurylifestylemagazine #bestvacations #IamaTraveler @beautifulmatters #beautifulmatters

A post shared by Andrea Miramontes ??| Travel (@ladobviagem) on

 

Alguns dos bons resultados no corpo visíveis são a melhora da musculatura abdominal, de pernas e braços.

“Há ainda a melhora da capacidade vascular e cardiorrespiratória, diminuição da tensão, aumento de força, flexibilidade, resistência, controle motor e desaceleração dos processos degenerativos e de envelhecimento”, lembra Adriano.

Mas é crucial buscar profissionais que realmente entendem do assunto. Sua coluna e bem-estar dependem disso, e m problema de coluna mal-tratado pode te afastar de viagens.

Nas aulas da Competition, que tem estúdio equipado para prática em grupo ou individuais, todos os professores são formados para a prática.

Meditação e viagens de conhecimento para boas mudanças em 2019