Twitter
Visit Us
Follow Me
Pinterest

Segundo estudo publicado em março pela OMT (Organização Mundial do Turismo),  25% de todas as espécies do planeta estão em risco de extinção nas próximas décadas.

Pesca desenfreada e lixo nos oceanos, desmatamento – 10 milhões de hectares perdidos todos os anos para agricultura – e a exploração predatória do homem colaboram para que os animais desapareçam da Terra.

Mas como você, viajante que ama animais, pode combater a exploração predatória e crueldade?

Deve excluir de vez toda atração turística que explore animais por dinheiro em cativeiro. Não dê seu dinheiro para que isso continue.

Prefira vê-los livres e com comportamento natural em seus habitats.

O que devo excluir?

Risque dos planos de viagem parques e atrações que confinam golfinhos e baleias, zoológicos, supostos “santuários” que oferecem filhotes para carregar ou alimentar, cavalos, elefantes e dromedários para montar.

Também exclua qualquer show com animais adestrados. Todos são fruto de captura, vida em jaula, crueldade nos treinos e isolamento do animal.

Para ficar mais claro, veja quatro regras básicas para quem quer ver animais na natureza sem colaborar com a crueldade.

E abaixo coloco os trailers de documentários e filmes para abominar a exploração animais no turismo.

1 – Blackfish – sobre golfinhos e baleias que enlouquecem no confinamento

 

2 -Máfia dos Tigres – fanáticos que colecionam grandes felinos e fazem muito dinheiro com isso

 

3 – Dumbo – clássico da Disney conta a história (real) de elefantinho explorado em circo

 

Ama animais e quer passeios sem crueldade? Siga o Instagram Lado B Viagem:

 

 

Paraíso para turistas, Bali lixa dentes de golfinhos e espanca elefantes bebês

Sem crueldade! Quatro regras básicas para quem ama turismo com animais

Reserva sul-africana tem seguranças 24 h para evitar massacre de rinocerontes