Twitter
Visit Us
Follow Me
Pinterest

Batuques africanos são entoados por toda capital de Seychelles, Victoria, durante o Creole Festival, a maior festa do arquipélago africano.

Com 115 ilhas no Oceano Índico, Seychelles é daqueles lugares cinematográficos, com hotéis de supeluxo e clima praiano.

O destino exótico tem no festival o espelho de sua cultura multiétnica. Com 98 mil habitantes, chamados seychellois, o país é formado por uma mistura de povos e religiões.

Terra do coco de mer, o maior coco do mundo, que chega a 30 quilos, Seychelles é também a casa das tartarugas gigantes, que podem chegar a 300 quilos e vivem 200 anos.

O arquipélago descoberto por portugueses volta de 1500, foi colonizado pela França e Grã-Bretanha. Tem forte influência dois dois destinos.

Anse Lazio, na ilha de Praslin, é uma das praias mais fotografadas do mundo e pertence a Seychelles (Divulgação)

festival de seychelles – Andrea Miramontes

Seychelles passou por um período de escravidão, com africanos de outros países trazidos por europeus. Assim como no Brasil, a escravidão acabou no país só no século 19.

Hoje é um país rico, que vive do turismo pra lá de profissional, e que apresenta alto Índice de Desenvolvimento Humano, em posição superior à do Brasil na lista da ONU.

Como é o festival?

Creole Festival fez 34 anos, dura uma semana e acontece todos os anos entre final de setembro e começo de outubro.

 

As festas com música, comida típica e cultura creole acontecem em Mahé, ilha onde está o aeroporto internacional e a capital, e em mais duas ilhas, La Digue e Praslin.

Manifestações de arte encantam visitantes em todas as frentes. A maior parte musical, mas há também dança típica, pinturas, concurso cultural, gastronomia e até um Carnaval.

A percussão creole gerou uma dança chamada kanmtole, apresentada pelas ruas e palcos. Na música, uma mistura dos ritmos Sega com Reggae, chamado Seggae, também é bastante comum.

kanmtole, dança típica de Seychelles, pode ser visto em vários dias do festival (Divulgação)

O desfile de Carnaval é a parte principal da festa. As ruas do centro da capital ficam tomadas por carros alegóricos e foliões, fantasiados de acordo com categorias.

Cada ala representa uma parte do caldeirão de culturas que compõem o povo de Seychelles, dos asiáticos, aos indianos, africanos e europeus. Também reforçam o passado, com carros dedicados a piratas e até à escravidão.

Passado em que Seychelles teve escravidão, durante o desfile do Festival Creole, em Seychelles – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Ala asiática do desfile de Carnaval em Seychelles, durante o Creole Festival – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Multidão lota o centro de Victoria nos desfiles do Creole Festival, em Seychelles – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Adolescentes participam do Carnaval, parte do Creole Festival – Andrea Miramontes/ Lado B Viagem

 

Crianças e adolescentes, estudantes seychellois, participam de festivais, com dança, música e pintura.

Quadros representam Seychelles, concorrem a prêmios e são expostos em galerias, na parte do evento chamado ‘Moman Kreativite’.

São pinturas de crianças de 8 anos até adolescentes. O olhar infantil impresso nas telas com as cores e ícones de Seychelles demonstra a alegria de viver em uma terra tão especial.

A visita à exposição dos pequenos fica aberta ao turista.

Coco de Mer, o coco gigante de Seychelles, é um dos temas representados pelas crianças seychellois. Aqui, arte de Annabelle Marie, de 11anos - Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Coco de Mer, o coco gigante de Seychelles, é um dos temas preferidos. Arte de Annabelle Marie,11anos – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Um casamento típico encerra a festa. De maioria católica, os seychellois se casam na igreja. Depois todos seguem a pé, em procissão, para a festa.

É possível acompanhar o comboio pelas ruas de Victoria, liderado pelos noivos e seguido por padrinhos, convidados e pela banda.

Procissão de casamento segue pelas ruas de Victoria, durante o Creole Festival – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Assim como no Brasil, festa católica de casamento seychellois tem igreja, bolo e brinde dos noivos – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Comida creole: coco e temperos

Restaurantes ganham cardápio especial durante a festa. A comida cheirosa de Seychelles vem muito temperada e tem como base os peixes e frutos do mar.

É comum ver pratos feitos e enfeitados com muito pimentão e frutas tropicais, incluindo o coco. Seychelles é a terra do coco, com 5 variedades.

Esqueça a dieta e não dispense as sobremesas com sorvetes, flans e caldas de coco, algumas delícias também com baunilha natural, colhida nas ilhas.

 

Vegetarianos, como eu, encontram saladas coloridas com frutas e pratos com legumes cozidos e empanados. É comum  topar com ratatouille no cardápio.

O cozido de legumes, especial no cardápio dos melhores restaurantes, como o La Pirogue, em Praslin, é uma das influências francesas nas ilhas.

Não deixe de provar as frutas. São cheirosas e rendem sucos deliciosos. Ama drinks? Bebidas com frutas aromáticas levam rum produzido em Seychelles.

Legumes empanados com pimentões e leite de coco – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

De toda experiência de música, gastronomia e arte durante a festa, o mais emocionante é vivenciar o orgulho seychellois em revelar sua cultura miscigenada a todos.

Creole Festival é um evento para fixar raízes e descobrir novos mundos.

— Miniguia Seychelles —

Documentos

Seychelles não exige visto. Tenha passaporte válido, inclusive na data de saída, e o comprovante internacional da vacina da febre amarela, obrigatório.

Dinheiro

A moeda local é a Rúpia de Seychelles (SCR). A troca de moedas estrangeiras por rúpias deve ser feita em bancos e casas de câmbio autorizadas.

Não troque nas ruas. Há grande possibilidade de trocar por moedas falsas.

Seguro-viagem

É indispensável fazer um seguro-viagem para todo destino internacional. E em Seychelles não é diferente. Para o destino, indico a cobertura completa da GTA – Global Travel Assistance, no plano Euromax.

Além de consultas, internações ou qualquer problema de saúde, a modalidade assegura perda de bagagens e até desistência da viagem.

Transporte

Não é preciso ter carta especial para dirigir nas ilhas. Mas a mão é invertida, inglesa.

Entre as principais ilhas é possível ir de barco, helicóptero ou de avião. Voos regulares são feitos pela companhia local Air Seychelles.

Entre as duas maiores ilhas, Mahé e Praslin, a viagem dura 15 minutos. A vista do céu do arquipélago é sensacional.

Voos a outras ilhas também são possíveis em parceria com hotéis.

Voo de Praslin para Mahé com a Air Seychelles - Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Voo de Praslin para Mahé com a Air Seychelles – Andrea Miramontes / Lado B Viagem

Na ilha de La Digue, faça tudo de bike, como os locais. Em Praslim e Mahé, o aluguel de carro ou contratação de serviço de transporte são boas pedidas. Não dependa de transporte público.2

Quando ir

Seychelles é um destino de clima tropical, normalmente com temperaturas agradáveis, entre 25ºC e 30ºC. Leve roupas de verão e chinelo.

O destino pode ser visitado a qualquer época do ano, mas entre maio e setembro/outubro é quando acontecem menos chuvas.

Abaixo, um vídeo do Facebook Lado B Viagem conta sobre as ilhas.

Insta @ladobviagem – Como é a principal ilha de Seychelles? O arquipélago africano tem mais de 100 ilhas paradisíacas. Essa aqui é onde está a capital do país ?? visiteseychelles GoPro #hero7black

Posted by Lado B Viagem on Monday, October 28, 2019