Twitter
Visit Us
Follow Me
Pinterest

A partir dos 30 anos, nossa produção de colágeno entra em queda, e isso só piora com idade. Estou na faixa dos 40 anos e comprovo a tese.

Estilo de vida também conta. Dormir mal, estresse constante e consumo de cigarro e álcool aceleram o processo.

Para tirar dúvidas sobre o uso da substância e se beneficiar dela, conversei com a dermatologista Andrea Godoy, médica da AD Clinica, especialista em beleza natural.

A dermatologista fala sobre o consumo do produto e a aplicação de fios de colágeno no rosto. Fios de colágeno são colocados no tecido subcutâneo.

Mas como é feito? Dói? Descubra.

Viagens sustentáveis, 40+ e roteiros vegetarianos:

Siga @ladobviagem no Instagram

1 – Como é a colocação dos fios de colágeno?

Existem 2 tipos de fios. Um que vai estimular colágeno e outro, com garrinhas ou âncoras, para tração, lifting ou sustentação.

O de estímulo, de PDO (polidioxanona) é colocado depois da aplicação de anestesia em pomada. Não dói muito. Dura de 6-8 meses.

Os novos, que ainda não chegaram ao Brasil, de PLLA (ácido poli l latico) e de PCL (policaprolactona), duram 18-20 meses ou 24-30 meses respectivamente.

Os fios de tração servem pra reposicionar, ou seja, devolver as estruturas da face pro lugar original delas ou pra suspendê-las para uma posição esteticamente mais satisfatória.

São colocados com anestesia local. Não doem na hora, mas a região fica sensível por uns dias. Nada que um remédio pra dor leve não resolva.

2- Quais melhores indicações para resultados bons?

Peles tipo “papel de seda”, mais finas e com rugas que permanecem mesmo em repouso ou que estão flácidas, têm boa resposta ao estímulo.

Para tração, aqueles rostos nos quais  “uma puxadinha” resolveria.

3 – Esteticistas também podem colocar?

O ideal é fazer o procedimento com médicos experientes e bem treinados.

Parece simples, mas em caso de algum problema, dificilmente um esteticista sabe resolver.

Podem acontecer desde probleminhas desde reação ao anestésico, como extrusão de parte do fio, infecção e até necessidade de remoção do material.

4 – Colágeno oral: qual o melhor para beleza?

Se há uma alimentação balanceada não é preciso tomar colágeno. Quando a pessoa precisa ou quer, indico a glicosaminoglicana e os pró-colágeno, que são lisina, prolina, vitamina C e Silício.

Cápsula ou pó depende. Se vc não se importar com a ingestão de um número maior de cápsulas ao dia, é boa opção. 

5 – Ultrassom e LED para estimular colágeno: funcionam?

Particularmente, não gosto de nada que chega a causar queimadura, macro ou microscópica.

Gosto dos LEDs por isso. São baixa potência, aquecem a ponto de otimizar as reações químicas sem queimar.

Não rejuvenescem, mas retardam as oxidações e melhoram a produção de colágeno.

Quando associados a substâncias fotodinâmicas (reativas a luz) têm resultados interessantes.

Veja mais:

Viagens sustentáveis, 40+ e roteiros vegetarianos:

Siga @ladobviagem no Instagram

Onde experimentar cannabis na comida e drinks?

Treino sem peso da Tec Fit dura 20 min e equivale a 1h30 de academia convencional

No Dia Mundial do Veganismo, descubra restaurantes com comida vegana em São Paulo