Twitter
Visit Us
Follow Me
Pinterest

Portugal abriu museus, monumentos, galerias de arte, palácios e igrejas. Também abriu restaurantes, cafés e mais estabelecimentos comerciais até 400 m2.

No começo deste mês de maio, o país já havia aberto, gradualmente, comércios e serviços locais, como livrarias e cabeleireiros e outros.

Ainda não é a normalidade, que só acontecerá com vacina ou cura. Mas é o controle, para tentar conviver com o problema da melhor forma.

Fronteiras ainda estão fechadas, o que tem prazo a ser resolvido, ou reavaliado na Europa, no dia 15 de junho.

Como Portugal conseguiu?

O governo de Portugal nunca subestimou o vírus, desde o primeiro caso.

Em 13 de março, o país decretou estado de alerta e fechamento de tudo, colégios, atrações, restaurantes e comércio. O público respeitou, sem protestos, unido.

Teve pico, no final de março e começo de abril, houve mortes, mas em número menor do que no resto da Europa.

Todos se isolaram em casa. Portugueses pararam de pegar estrada. Nada de praia, parques e passeios.

Em 25 de março, o movimento já havia caído 75%, de acordo com Ministério das Infraestruturas e da Habitação do país.

O governo protegeu a população. Veja bem, não é só proteger grandes empresas, mas também pequenas e microempresas.

Linhas de crédito para pequenos e micros, de forma imediata, e flexibilização do pagamento de impostos, por exemplo.

Só no turismo (agências de viagem e eventos) um dos setores mais afetados, foram destinados 900 milhões de euros. Disso, 200 milhões foram para micro e pequenas empresas.

Protegeu o povo, com medidas como proibir despejos e a cobrança de hipotecas durante a crise de coronavírus.

Como serão as atrações agora?

As regras rigorosas continuam, como uso obrigatório de máscara, manutenção da distância mínima de dois metros entre pessoas, condições para a higienização.

Vale para clientes, funcionários, superfícies e espaços, com limite de lotação.

Nos restaurantes e estabelecimentos similares, a ventilação e renovação frequente do ar serão aspetos prioritários e as decorações serão retiradas das mesas.

O Turismo de Portugal criou o selo “Clean & Safe”, que distingue as atividades turísticas que asseguram o cumprimento de requisitos de higiene e de limpeza para prevenção e controle da covid

O selo abrange hotéis, alojamento local (aluguel de temporada), empresas de animação turística e restaurantes, que  implementaram protocolos específicos para as diferentes serviços.

Mais de 4.000 os selos foram disponibilizados, o que mostra o compromisso das empresas portuguesas em acolher os turistas em segurança.

Lado B Viagem no Instagram! Siga:

Teste de covid e uso de máscaras em voo: a nova realidade do viajante a partir de agora

 

O que fazer em Mônaco, pequeno país, um gigante em sustentabilidade